Fish Wool

CD €12,00

comprar

1) Box Jelly Fish

2) Puffer Fish

3) Stone Fish

4) Great White Shark

5) Piranha

6) Bull Shark

7) Wolf Fish


Susana Santos Silva - trompete

Yedo Gibson – saxofones tenor e soprano

Vasco Trilla - bateria

Toda a música por Susana Santos Silva, Yedo Gibson & Vasco Trilla

Gravado no Salão Brazil (Coimbra, Portugal)

Mixado e Masterizado por Francisco Gaspar 

Design por Fernando Miguel Oliveira

Produção Executiva de JACC - Jazz ao Centro Clube


Susana Santos Silva no trompete, Yedo Gibson no sax tenor e soprano e Vasco Trilla na bateria são a mais recente adição ao catálogo da JACC Records. Para esta estreia como trio, os músicos juntaram esforços em Coimbra para gravar e tocar essas 7 faixas. 

 Pelas palavras de Rui Eduardo Paes para o site jazz.pt:

"Logo nos dois primeiros temas, “Box Jelly Fish” e “Puffer Fish”, o que encontramos não poderia ser mais convencionalmente “musical”: harmonizações por um dos sopros (Santos Silva em trompete, Gibson em saxofone tenor ou soprano) do que o outro toca ou o estabelecimento de contrapontos, sempre sobre o manto parcimonioso das texturas, raramente rítmicas, providenciadas pela percussão (Trilla). O que quer dizer que, se o baterista luso-catalão se coloca fora do enquadramento escolhido pelos seus pares para esta gravação, da parte destes a opção vai para uma lida com o tom e, em consequência, da melodia, por mais fragmentária e distorcida que esta apareça.

A esse nível, o que o sax tenor de Yedo Gibson faz em “Piranha” não poderia ser mais significativo: vai de uma alusão directa às marchas de rua tocadas por Albert Ayler a referentes igualmente explícitos ao samba, algo que não é habitual no músico de origem brasileira. O trabalho do trompete (com uma Susana Santos Silva tão meditativa quanto… ruminante) e dos saxofones evolui por motivos: desvanecido um, surge outro, e muito frequentemente com pequenas pausas e não em transição. O que poderia parecer derivativo, porque sem um rumo aparente, é resolvido na forma de “statements”. Percebe-se o propósito: fazer com que a música espontânea, improvisada, do trio seja habitada pelos fantasmas de outras músicas, numa articulação síncrona (com músicas do nosso tempo – como a mimetização da electrónica em “Bull Shark”) e diácrona (por meio da rearticulação de elementos da história da música, em especial – como seria de esperar – a do jazz). Há como que uma combinação de “nonsense” e de lógica nesta estratégia, sendo ela que dá continuidade e unidade (mais do que isso: identidade) a este registo. E que identidade é essa que está em causa? Algo de muito semelhante aos processos de crescimento celular, por síntese, degradação e reciclagem, a que a ciência chama autofagia."

retirado de https://jazz.pt/ponto-escuta/2019/11/07/fish-wool-fish-wool-jacc-records/

12 € (portes incluídos)

O disco foi adicionado com sucesso ao seu carrinho de compras

Poderá aceder ao seu carrinho de compras clicando no seguinte link, ou clicando no icon no menu de topo do site.

×